Conheça a claustrofobia, o medo de espaços confinados sem motivo

Você fica com medo quando está em um elevador, em uma sala sem janelas ou mesmo em um avião? Nesse caso, você pode ter claustrofobia. Esta condição é uma das fobias mais comuns do mundo, por isso é importante que você a compreenda.

O que é claustrofobia?

O termo claustrofobia vem da palavra claustrum (Latim) que significa lugar fechado e fobos (Grego) que significa medo. Com base na origem da palavra, claustrofobia é um medo irracional e intenso de espaços confinados ou estreitos. Pessoas com claustrofobia tentarão evitar pequenos espaços ou situações que podem desencadear o pânico. A definição de uma pequena sala pode variar, dependendo da gravidade da fobia. Geralmente, as pessoas com essa fobia evitarão pegar aviões, trens ou elevadores. Além disso, as pessoas com claustrofobia correm para encontrar uma saída toda vez que entrarem em uma sala lotada, temem que a porta se feche quando estiverem dentro de casa e fiquem perto da saída quando estiverem em um local lotado. Várias situações podem desencadear claustrofobia, como estar em um elevador cheio, estar em uma pequena sala sem janelas, embarcar em um avião ou carro pequeno, fazer uma ressonância magnética ou tomografia computadorizada, estar em uma sala grande ou lotada, passar por um túnel, estar em um banheiro público, etc.

Causas de claustrofobia

Em geral, a claustrofobia ocorre durante a infância ou adolescência. Infelizmente, não se sabe exatamente o que causa essa fobia. No entanto, acredita-se que os fatores ambientais desempenham um grande papel. Além disso, essa fobia também está associada à disfunção da amígdala, que é a parte do cérebro que controla o medo. Além disso, essa fobia também pode ser causada pelos seguintes eventos traumáticos:
  • Fiquei preso em um espaço apertado por muito tempo
  • Experimentando turbulência ao embarcar em um avião
  • Já foi punido em uma sala pequena, como o banheiro
  • Deixado em um espaço apertado, por exemplo, um armário
  • Separado dos pais quando em um lugar lotado.
Você também tem mais probabilidade de desenvolver claustrofobia se seus pais ou outros membros da família a tiverem. Em outras palavras, quando uma criança vê e observa a pessoa mais próxima a ela tem medo de um pequeno espaço fechado, ela também sentirá o mesmo medo. [[Artigo relacionado]]

Sintomas de claustrofobia

Quando em uma situação que o desencadeia, os sintomas de claustrofobia que aparecem podem ser leves ou até graves. Você também pode sentir que está tendo um ataque de pânico. Alguns dos sintomas que podem ocorrer incluem:
  • Suando
  • tremendo
  • Muito assustado ou em pânico
  • Preocupado
  • Difícil de respirar
  • Hiperventilação
  • Frequência cardíaca acelerada e pressão alta
  • Ondas de calor
  • boca seca
  • Entorpecido
  • Asfixia
  • Tensão ou dor no peito
  • Enjoativo
  • Tontura ou desmaio
  • Confusão.
A claustrofobia também inclui o medo de ficar confinado ou preso em uma área específica, portanto, esperar na fila da caixa registradora também pode causar sintomas em algumas pessoas. Se você acha que tem essa fobia e ela interfere em sua vida diária, procure imediatamente a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra.

Como superar a claustrofobia

Depois que você for diagnosticado com claustrofobia, seu psicólogo recomendará uma ou mais opções de tratamento para lidar com essa fobia. Alguns dos tratamentos possíveis são os seguintes:
  • Terapia cognitivo-comportamental para treinar sua mente para que você não se sinta ameaçado pelo espaço ou lugar de que tem medo. Esta terapia é feita entrando-se gradualmente em uma pequena sala e certificando-se de que é capaz de superar o medo ou a ansiedade que surgem.
  • A terapia com medicamentos antidepressivos e sedativos pode ajudar a controlar os sintomas da claustrofobia.
  • Fazer exercícios de respiração profunda, meditação e relaxamento muscular pode ajudá-lo a lidar com pensamentos negativos e ansiedade.
  • Alguns suplementos e produtos naturais também podem ajudá-lo a lidar com o pânico e a ansiedade. Além disso, você pode usar óleos essenciais que tenham um efeito calmante, como o óleo de lavanda. No entanto, esta é apenas uma forma de medicina alternativa.
Geralmente, o tratamento é feito em duas sessões semanais que duram cerca de 10 semanas ou mais. Se o tratamento for feito corretamente, você ficará livre da claustrofobia, o que é muito incômodo. Portanto, não hesite em consultar um psicólogo ou psiquiatra se você tiver essa fobia.